quarta-feira, 22 de novembro de 2017

CONCURSO PÚBLICO SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DA PARAÍBA

Resultado preliminar das inscrições deferida - SEE-PB (ATUALIZADO)
1º - Português 6.068 inscritos
2º - Matemática 4.133 inscritos
3º - História 4.052 inscritos
4º - Biologia 3.843 inscritos
5º - Geografia 3308 inscritos
6º - Educação Física 2.306 inscritos
7º - Química 1.606 inscritos
8º Física 834 inscritos.
9º - Inglês 812 inscritos
10º - Filosofia 626 inscritos
11º - Artes 433 Inscritos
12º - Sociologia 415 inscritos

terça-feira, 21 de novembro de 2017

Linguagem: Sentido e Definição



Linguagem: Sentido e Definição

Não dá pra dialogar com pessoas de argumentação ping-pong. Pensar rápido não quer dizer pensar correto, contradizer o interlocutor é discurso arcaico e infantil. O discurso consensual e plural ignora as contradições. Não entendemos o que dizemos e o aparente sentido comum consiste num entendimento comum universalmente imposto, de modo que a ignorância consiste em ter esperança de mais ou em ser pessimista demais. Assim, o problema da linguagem está nos extremos das individuações que a manipulam. Com efeito, a aceitação parcial do discurso do outro, com medida, pode ser um caminho teleológico, cuja teleologia continua, para nós, indefinida.
O senso de sentido que temos como representação na linguagem se norteia, na maioria das vezes pela cópula "é", cuja significação é obscura a não ser como mero instrumento de ligação daquilo que se deseja colocar com os termos em uso e por ela interligados. Por outro lado, você está lendo este texto e, aparentemente entende seu conteúdo, ou, ao menos, parte dele. Isso ocorre, pois, por mera "noção" de que se tem certo entendimento dos termos, ou seja, por mera "crença" de se acreditar que se sabe o significado das palavras dadas. Porém, na verdade, o que me parece ocorrer é se estabelece um comum indefinido que se define no coletivo do uso ou da prática da linguagem. Com isso, sentido se constitui em uso que não se define.

sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Conhecimento

O conhecimento deve ser conhecido, não pode ser propriedade privada.

CONVERGENCIALISMO OU INTEGRALISMO FILOSÓFICO

Eis o método e a nova linha: Convergencialismo


Em breve mais detalhes deste metodo ou linha filosófica na qual estou trabalhando. Talvez,  seja precoce afirmar que seja "nova", contudo, posso arriscar que se trata de um olhar diferenciado do pensamento humano.

linguagem = instrumento de  todo conhecimento da individuação, algo dado, posto, o dizer do mundo para quem o diz.

individuação = o algo que opera ou manipula a linguagem,  mas que é insabivel

corpo = natureza, o algo para além da individuação ou "coisa em si" inalcansavel


O metodo propõe a unificação de todo pensamento filosófico,  religioso e científico,  os quais são,  todos, filosoficos. Não q ciencia e religião se reduzam à filosofia, mas que se fazem juntos. Sao discursos.
Ao considerar as contradições comprar possibilidade do algo, o anseio pela



sábado, 11 de novembro de 2017

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

A Ilogicidade na Física Quântica


Não é preciso avançar muito na história para percebermos que a chave de todo conhecimento nos está represntada nos pré-socráticos, uma vez que toda sequência do pensamento se constitui em aua explicação ou ampliação com poucas novidades originais.
Como convergência entendo que todos tem sua contribuição e merecem o partilhamento e as honras do bolo. Contudo, alguns são,  de fato, mais proeminentes, sendo o maior deles Heráclito. Pois, está em Heráclito o principio fundamental de tudo aquilo que hoje se chama quântico. 




O que o experimento mais famoso da física quântica concluiu? que os elétrons se comportam como matéria quando observados e, quando não observados, como onda. Mas, o que isso nos sugere? Isso pode mostrar que a matéria de fato está ligada à percepção como já especulava a filosofia, neste caso, da visão.

domingo, 5 de novembro de 2017

APOSTILA RELIGIÃO PARA AULAS

8 ANO IV BIM

Política - O deus brasileiro e o povo como o mal





Política - O deus brasileiro e o povo como o mal


O Lula já fala em perdão aos golpistas!!! Gente não existe polaridade político-partidária nesse país não, nem ideologia politica, o q ocorre é apenas manutenção do jogo político. Não há 3 poderes, mas apenas a trindade política. O "deus" brasileiro é triuno e se se manifesta nos 3 poderes. O que antes era encoberto agora foi revelado em sua maior força, num ato de demonstração à nação de que não há povo nesse país, mas apenas o seu deus. O deus que se mostra na ambiguidade de seu discurso cuja verdade maior é a mentira de suas leis também ambíguas. O povo não é o poder, mas a manutenção dele, mas ao que parece, já ganhou autonomia. Como zumbis a nação poderá ir mais uma vez ficar diante das maquininhas diabólicas para mais uma vez fazer girar a roda da tirania, do absurdo e da ressonância do silêncio dos calos do trabalhador e da ignorância de seus doutores mamíferos que como bebês igualmente mamam nos seios da corrupção. É preciso, agora, o mal se levantar, e o povo é o mal que pode injetar o vírus emancipador, e ele é o vírus, e, ao que parece, não é uma questão de gênero, haja vista que o chamado "frágil" também se deitou na cama com os corruptos, mas sim, uma questão de pura revolução, inconformação com o todo, com o macro, com o sistema, com a via do vício. Ora, se o bem é agora o mal, que se levante o mal como o bemr, e isso só poderá ocorrer no discurso e na intenção. Portanto, na atual conjuntura, somente o mal poderá se levantar contra o mal, um mal maior, uma coragem sem limites, uma imposição da fé prática, para além da imposição dada. O povo deve estar acima da letra, uma vez que o deus usa a letra contra o povo. Deste modo, o discurso do povo deve prevalecer sobre a letra que não o representa, para que se dê lugar a uma nova letra, a letra que verdadeiramente represente a justiça para o povo.

domingo, 15 de outubro de 2017

Individuação e Instrumento: A linguagem e sua auto explicação

Individuação e Instrumento: A linguagem e sua auto explicação


O Pensamento histórico é um movimento da linguagem em busca de conhecer-se a si mesma. Uma vez que procurou entender o objeto, passou ao sujeito, a relação sujeito/objeto, mas que agora - a partir de Hegel - , se voltou para si mesma numa louca tentativa de superação.

O conflito individuação e instrumento que para no problema da linguagem, enquanto manipulador e mecanismo manipulado, a limitação é hoje o ponto de saturação que tem no conceito de infinito seu maior obstáculo.

Tanto o pós-estruturalismo como a fenomenologia existencialista que o originou são correntes fundadas no idealismo subjetivo de Berkeley e trancendental de Kant. Ora, se o idealismo transcendental propôs a coisa em si, os fenomenologistas e os pós-estruturalistas buscam esta coisa em si nas estruturas da linguagem. Este esforço conduziu à ilogicidade da lógicca num movimento filosófico que agora está claramente posto na história do pensamento humano. Com efeito, podemos dizer que filosofia hoje é neokantiana e lupasciana, uma vez que a linguagem nos mostra a terceira ordem que media as oposições bipolares no mundo, e, não diferente nos discursos, a saber, um ponto comum de união e de divergência do devir da fala, da escrita e dos contextos vivenciais.

terça-feira, 10 de outubro de 2017

Antagonismo: o que é o finito?

As coisas são tudo (fato) e nada (não-fato). Nunca ao mesmo tempo, mas, sempre. Isso é a relação infinita do devir. Nos resta identificar a finitude dos entes!

Linguagem e Literatura

Se a linguagem se constitui numa mentira necessária, a ficção é a mentira da mentira e ao mesmo tempo uma verdade enquanto mentira

quarta-feira, 13 de setembro de 2017

Sobre o Direito em Kant


Kant define direito como 

"a soma das condições sob as quais a escolha de alguém pode ser unida à escolha de outrem de acordo com uma lei universal de liberdade" (A Metafísica dos Costumes, Folha de São Paulo, 2010 p. 54).

Assim, em harmonia com o imperativo categórico, Kant assim afirma ser o direito um meio pelo qual um ser racional pode exercer a sua liberdade sem infringir a liberdade de outro, ao ponto de haver um certo acordo de escolhas cooperadas. Ora, estando posta na razão uma lei universal, todos estariam sujeitos a tal lei geral internamente, de modo que o agir prático se constituiria, em tese, numa aplicabilidade desta lei por dever. Isso, consequentemente já implicaria na própria forma do direito, a saber, a retidão nas atitudes humanas oriundas da obediência à lei interna. com efeito, a lei universal é o pilar de todas as condições ou proposições normativas do direito para que possa haver a livre escolha dentro desse acordo cooperativo com base no imperativo. Ora, se para Kant a liberdade consiste na obediência à lei universal, isso implica que, o agir correto é, neste sentido, perfeita harmonia entre vontade e lei, proporcionando desta forma um agir coletivamente livre.

Contudo, essa teoria se constitui num ideal kantiano, ou seja, se trata daquilo que deveria ser, mas que na verdade, não ocorre, muito pelo contrário. Pois, devido as inclinações sensíveis, o homem pende para o mal, daí outras implicações na filosofia do direito são necessárias.

terça-feira, 22 de agosto de 2017

A Ressignificação da Linguagem



A Linguagem está nos dizendo algo desde o princípio. Em cada fala ou escrita humana, ou em qualquer outra forma de expressão, e, principalmente por meio das grandes individuações (os filósofos), a linguagem se mostra para nós em respostas às suas próprias indagações mais obscuras e inalcançáveis.

Assim, a linguagem dada se desenvolveu a partir de seu modo ordinário ou comum, desde a codificação do mundo até os conceitos mais ontológicos e ainda mais escuros.

Qual seria então a tarefa hoje da filosofia?

primeiro que a filosofia não precisa de uma nova tarefa, mas se fossemos propor uma nova fase, está é a de ordenar o pensamento na história de maneira que possamos extrair de cada pensador possível uma linha mestra no sentido de decifrarmos os caminhos, as pistas deixadas pela linguagem em toda sua história para que assim possamos desenvolver uma teoria que possa reconstruir os sentidos dos conceitos a ponto de resignificarmos a linguagem numa forma definitiva de sua compreensão.

O Pensamento implica tão somente em agente (individuação que manipula) e linguagem (instrumento). Daí, é o movimento destes que produz conhecimento diante de si e do mundo.

Assim, pensamento pode ser entendido como a relação da individuação com o logos diante de si e do mundo.





quarta-feira, 19 de julho de 2017

LinkWithin

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

cutus